Pneus de tecnologia Alemã

(logo ação Continental Conectando Destinos)

Conectando Destinos | São Paulo - São Francisco Xavier

A Continental faz 150 anos e, em parceria com o Estadão, elaborou um pequeno guia de viagens de carro com até 150 quilômetros de distância a partir de algumas das principais capitais do país com destino a locais turísticos como São Francisco Xavier, no interior de São Paulo. Os roteiros trazem também dicas para tornar seu percurso na estrada mais seguro e agradável 😉

Conectando Destinos | O que fazer em São Francisco Xavier (imagem de cachoeira Pedro Davi + logo Conectando Destinos)

Sossego de interior e muita natureza em São Francisco Xavier

Os ares de interior, com direito a praça central e coreto, é um dos motivos que levam muitos paulistanos para São Xico, como é conhecido entre os mais íntimos do lugar. A outra explicação é a proximidade com a capital paulista. Apenas 150 quilômetros em estradas bem pavimentadas levam a um dos roteiros preferidos de famílias, casais e amantes da natureza. Por isso, São Francisco Xavier foi escolhida como um dos destinos para uma agradável viagem de fim de semana.

Na verdade, São Xico não é um município, mas um distrito de São José dos Campos, um dos principais polos tecnológicos do País. São Xico está a pouco mais de 50 quilômetros do centro de São José, no alto das montanhas da Serra da Mantiqueira, e resguarda a tradição caipira com moradores indo e vindo a cavalo pelo centro ou colocando a prosa em dia nos bancos da praça.

Essa gente do interior sabe receber os visitantes com pousadas charmosas – muitas delas equipadas com lareiras, banheiras de hidromassagem e até ofurô – além de ótimos restaurantes, a maioria instalados na Rua 15 de novembro, com um cardápio à base de trutas criadas na região. Do lado de fora, a natureza oferece um extenso roteiro de atividades. Não à toa, boa parte do distrito é protegido por uma Área de Proteção Ambiental (APA), criada em 2002, para resguardar o ecossistema da região. 

Trilhas, muriquis e cachoeiras

Para quem é bom de fôlego e pernas, as trilhas são desafiadoras pela distância e declividade do percurso, mas valem cada metro, já que conduzem a mirantes surpreendentes. Um desses caminhos tem 6 quilômetros íngremes e leva à Pedra da Onça. Lá em cima, a quase 2 mil metros de altitude, o caminhante tem uma visão de boa parte da Mantiqueira.

Outro bom caminho leva à Toca do Muriqui. São 3 quilômetros em mata fechada que terminam em uma cachoeira com piscina natural para se refrescar. Com alguma sorte, é possível avistar exemplares do muriqui, o maior primata das Américas. A cachoeira Pedro Davi também é imperdível para banhos. Ela fica a apenas 3 quilômetros do centro, tem várias quedas d’água e boa estrutura, como trilhas com corrimão e banheiros.

No Rio do Peixe, a diversão é descer a correnteza em cima de botes infláveis de barriga para baixo, esporte conhecido como acquaride, ou simplesmente bóiacross. Para não ficar perdido entre tantas opções de passeios, é recomendável procurar pessoal especializado, como o CAT Ecoturismo. A agência tem vários roteiros e guias que sabem tudo sobre a região.
 


Para pegar a estrada com segurança

A partir da capital paulista há duas opções para chegar a São Xico: seguir pela Rodovia Presidente Dutra ou, então, pelas estradas do sistema Ayrton Senna-Carvalho Pinto até a cidade de São José dos Campos. Ali, basta seguir as placas – ou as indicações do seu aplicativo de GPS – até encontrar a saída SP-050, ligação de São José com o município de Monteiro Lobato, vizinho de São Xico. Depois de subir uma pequena serra em estrada bem sinalizada chega-se ao distrito.

1) Muitos motoristas só lembram do estepe quando é preciso. Antes mesmo de colocar as malas no carro, cheque o estado do seu pneu sobressalente. Ele deve estar corretamente calibrado e com sulcos de espessura mínima de 1,6 mm para que possa ser utilizado com segurança;

2) Cuidar dos protocolos de higienização para evitar a contaminação pelo coronavírus é importantíssimo. Higienize sempre as mãos ao entrar no veículo, limpe constantemente os componentes internos mais manuseados como câmbio, volante, freio de mão e demais controles. Procure fazer periodicamente a higienização do sistema de ar.

3) Sob chuva, muito frequente em trechos de serra, além de reduzir a velocidade é importante manter-se distante do veículo à frente. Em uma pista molhada o motorista precisa de três vezes mais espaço para frear em comparação com uma pista seca;

4) Quando há muita água na pista o veículo pode perder o contato com o asfalto e deslizar. Nessa situação é melhor não frear ou movimentar o volante bruscamente. Aguarde que a perda gradativa de velocidade faça com que o veículo volte a ter contato com a pista e assim o controle possa ser retomado.

Importante: todos esses serviços, entre outros relacionados à manutenção de seu veículo, podem ser realizados em uma das lojas da Continental Pneus. 

 

 

Parceria da Continental Pneus em conjunto com o Estadão Mobilidade, serão sete roteiros de viagens de até 150 km. Passe em uma revenda Continental para sua revisão e boa viagem!


*Fotos: Claudio Vieira / Tião Martins / Antonio Basilio - PMSJC

**Mapa: Google Maps 2021