Pneus de tecnologia Alemã

stage_image

Sala de Imprensa

Quando retirar um pneu superelástico de operação? A Continental explica

15/01/2020
Quando retirar um pneu superelástico de operação? A Continental explica

Quando retirar um pneu superelástico de operação? A Continental explica

  • Modelos superelásticos são indicados operar dentro ou fora de instalações industriais
  • Segundo especialista da Continental Pneus é possível otimizar a sua utilização até o limitador de desgaste

São Paulo, 15 de janeiro de 2020 - Para alertar os usuários em relação ao momento correto da substituição, a Continental, fabricante de pneus de tecnologia alemã, integrou em sua linha de produtos superelásticos um indicador de vida útil. Trata-se de um ressalto na região do ombro que delimita o uso da banda de rodagem.


Os pneus superelásticos têm como principal característica a sua construção compacta, robusta e adequada para serviços extremamente árduos, destacando-se em terrenos lisos e regulares. São indicados para operar dentro ou fora de instalações industriais, em situações que apresentam grande risco de perfuração ou ataque à banda de rodagem por materiais pontiagudos e contundentes.


“O fato de o desenho da banda de rodagem ter sido totalmente aproveitado, ou seja, de o pneu estar “liso”, não determina a sua substituição. Portanto, é possível otimizar a sua utilização sempre até o limitador de desgaste”, explica Vinicius Penna, gerente de pneus especiais da Continental para o Mercosul.


A banda mais lisa no pneu superelástico não interfere no desempenho nem tão pouco na segurança da empilhadeira pois, ao contrário dos veículos de passeio que são leves e rodam em altas velocidades, os veículos industriais são muito pesados e devem, obrigatoriamente, ser operados em baixa velocidade. “Esta combinação de elevado peso e baixa velocidade proporciona aos pneus da empilhadeira uma boa aderência, mesmo em situações de piso úmido”, complementa Vinícius Penna.


Mas vale ressaltar que em condições de piso úmido a atenção deve ser redobrada quando a empilhadeira estiver rodando com pneus “lisos”. Além disso, é importante também evitar o acesso a rampas com inclinações muito acentuadas.


Esse cenário é válido apenas se o pneu apresentar um desgaste considerado “regular”, ou seja, um consumo uniforme da banda. Caso o contrário, a Continental recomenda a realização de rodízio ou a substituição do pneu.


Para mais informações sobre a linha de pneus da Continental para aplicações industriais acesse: 

https://www.conti.com.br/specialty
 

A Continental desenvolve tecnologias e serviços pioneiros para a mobilidade sustentável e conectada de pessoas e seus bens. Fundada em 1871, a empresa de tecnologia oferece soluções seguras, eficientes, inteligentes e acessíveis para veículos, máquinas, tráfego e transporte. Em 2019, a Continental gerou vendas de cerca de € 44,5 bilhões e atualmente emprega mais de 240.000 pessoas em 59 países e mercados.


A Área de Negócios de Pneus tem 24 locais de produção e desenvolvimento em todo o mundo. A Continental é um dos principais fabricantes líderes de pneus, com cerca de 56.000 colaboradores e essa área de negócios registrou vendas de € 11,4 bilhões em 2018. A Continental está entre as líderes de tecnologia na produção de pneus e oferece uma ampla gama de produtos para carros de passeio, veículos comerciais e especiais, bem como para duas rodas. Através do investimento contínuo em P&D, a Continental faz uma grande contribuição para a mobilidade segura, econômica e ecologicamente eficiente. O portfólio da área de negócios de Pneus inclui serviços para o comércio de pneus e para aplicações em frotas, bem como sistemas de gerenciamento digital para pneus.

Compartilhe